Onde os sonhos são imperfeitos e sonhamos com a imperfeição...

27 de novembro de 2016

Cânticos do Bardo

Meu coração aperta inquieto
Minha visão se perde no horizonte
Minha respiração exalando afeto
É da minha felicidade minha fonte

Olhe, sou eu para no fiorde
Vendo as ondas da água movimentar
E desse sonho não quer que me acorde
Dessa magia de tudo a admirar

Esse sonho me foi possível
Esse sonho me foi louvado
Esse sonho tão passível
De mim um dia foi tirado

De uma vida inteira sem procurar
E em uma noite simples encontrar
E ser ingênuo ao ponto de acreditar
Que é pra mim para essa coisa de amar

Não sei ao certo o que dizer
Palavras me faltam para explicar
E toda vez que vejo você
A ansiedade toma conta do meu pensar

E é com você que me sinto estranho
É com você que me falta o ar
E tudo ao nosso redor é tão mundano
Quando eu só quero é te amar

Não sei como falar
As palavras me abandonam
E quando falo do amar
Meus músculos abrandam

Com você encontrei o meu caminho
Com você eu sou para onde ir
Para você eu ofereço meu carinho
E o desejo da realidade fugir

Estarmos juntos, nos dois em outro lugar
Dois perdidos na incerteza do que falar
Vamos nós dois aprendermos a nos doar
E os nossos medos deixar voar

Venha comigo nesse fiorde sentar
E a beleza desse sonho admirar
Ver a beleza do mundo nos mostrar

Que o sonho é feito no nosso amar

Lorhien Wolpart

23 de novembro de 2016

O que é justo?

Engraçado como a vida é.

Em um momento vivemos um conto de fadas. Tudo é lindo, tudo é perfeito. Você é feliz como nunca foi na sua vida. De uma hora pra outra, a coisa desanda. Não por nada que ninguém tenha feito. Bem, pelo menos não diretamente. Não é porque alguém magoou o outro. Quer dizer, não diretamente.

As duas pessoas dizem se gostar. Não não. Elas dizem se amar. E ambas dizem nunca terem sentido algo igual assim antes. Ambas tentam acreditar no que a outra diz, e, no fim, até conseguem. Mas por que desandou? Difícil pergunta...

Quando as coisas desandam? Por que? Existem vários motivos que chega a ser complicado listar pelo menos um. Existem fatores externos, além do que é normal. Isso faz as coisas desandarem. Mas por quê? Estávamos tão felizes...

"Mas eu não entendo. Se vocês se gostam tanto, por que não ficam juntos de uma vez? Por que não vencem as adversidades?"

Pois é, mas a vida não é tão simples. Foi a única resposta que passou pela minha cabeça no momento.

As vezes, infelizmente, o amor não é o suficiente para passar por certas barreiras. Talvez não porque se amem o bastante, mas porque essas barreiras são grandes demais, ou profundas demais. Vão até outras etapas do próprio ser.

É justo elas existirem? Eu não sei dizer. Não consigo ao certo saber o que é justiça agora...

Não era para ser assim...


Lorhien Wolpart

20 de outubro de 2016

20 Segundos de Coragem Insana

Engraçado como certas acontecem do nada, quando você menos espera, e se tornam coisas de extrema importância na sua vida. Quando você desiste de procurar algo, e acredita que está bem sem isso, você acaba encontrando.

Eu nunca vou esquecer um diálogo que tive com uma das pessoas mais sábias que conheço:

- Mas você não vai arrumar nem o cabelo?
- Eu só estou indo comprar pão.
- Vai que você encontra uma garota lá...
- Até parece que vou achar o amor da minha vida em uma fila de pão
- Você nunca sabe quando vai encontrar o amor da sua vida. Acontece sempre quando você não está procurando.

Engraçado sabe o que é? Quase dez anos depois desse diálogo, eu fui ver que era a pura verdade.

É forte falar sobre "Amor da Vida" tão cedo? Talvez. Mas, por alguma razão, não vejo porque não falar. É um sentimento tão novo, que eu não sei definir de outra forma.

Esse texto é um pouco diferente do que vocês estão acostumados a ler aqui no Sonhos e Imperfeições. Não estou colocando firulas. Não estou hiperbolizando nenhuma frase. Estou sendo sincero, e tendo uma conversa franca.

O título foi roubado do filme "Compramos um Zoológico". Adoro esse filme. Sério, vocês precisam ver.

Quando assisti pela primeira vez, quase 5 anos atrás, ouvi essa frase do filme. Me pareceu nada mais que uma frase de efeito clichê, daquelas usadas por Hollywood para impactar o telespectador e criar uma história romântica melosa.

Olha quem está falando de história romântica melosa... Tenho usado delas há dez anos aqui.

Mas o fato é: nunca acreditei muito nela. Ou nunca entendi direito. Durante anos pensei que a tal "coragem insana" fosse ir e falar com aquela pessoa que você não conhece, mas ficou admirado. Bom, obviamente nunca fui do tipo que tem essa coragem. Nunca cheguei em uma pessoa desconhecida e falei "Oi". Não sou esse tipo de pessoa.

Ao mesmo tempo, sempre fui meio cético em relação ao amor. É engraçado ouvir isso de alguém que já escreveu centenas de textos românticos aqui no blog. Mas ser cético em relação ao amor sempre me ajudou a escrever sobre ele, a destrinchar o sentimento que via nos outros, a aparentar angústia e incertezas. Não acreditar em algo me permitia ler esse algo.

O problema é quando você sente e começa a acreditar...

Os tais "20 segundos de coragem insana" fizeram sentido para mim. Não era falar com uma pessoa desconhecida, mas tomar uma atitude insana, mas que, sejamos sinceros, você quer tomar. Por que? Porque é insanamente aquilo que você sabe que te fará feliz.

Ah, 5 segundos de coragem insana. Aceitar um convite que você sensatamente não aceitaria. Aí vem a sensatez, afinal você sabe o que vai acontecer, e você decide cancelar. Mas vem mais 5 segundos de coragem insana e decide fazer você o convite. A pessoa aceita. Vocês vão para onde combinaram, veem o filme e, em 5 segundos de coragem insana, vocês trocam olhares. Eles denunciam as intenções de ambos, mas ambos fingem não ver. Vão embora. Na hora de se despedir, mais 5 segundos de coragem insana. Seu leve movimento de cabeça indica o que deseja. A pessoa retribui.

Sabe aquela história de que o primeiro beijo do amor verdadeiro tocam sininhos? É pura balela. Mas ele te leva a outro universo. Você se perde ali. Você se confunde na pessoa em seus braços. Seus corpos se entrelaçam. Vocês foram feitos para aquele momento, por que então os outros deveriam decidir se é certo ou não?

20 segundos de coragem insana. Isso é o que é preciso para encontrar o amor. Esse amor durará para sempre? Difícil dizer. Mas será eterno enquanto durar, e que dure eternamente. Afinal, nunca me arrependerei dos meus 20 segundos de coragem insana.


Evandro Silveira de Pontes

5 de setembro de 2016

Quando cai a noite

"O que há com você? Perdeu noção foi? Como cara? Como?

Foi tão bem durante anos. Se afastando de tudo e de todos. Era o que você queria, não era? Não ter laços, não ter vínculos. Não ter intimidade com ninguém. Batalhou tanto para aprender a guardar o máximo as coisas dentro de você, não falar com ninguém, até mesmo parar de escrever para evitar falar o que não deve. E agora você tá nessa?


Como você deixou isso acontecer? Você não entende a gravidade da situação?

Entenda: você não pode deixar isso acontecer. Não é para você. Você não sabe lidar! Lembra como foi a última vez que isso aconteceu? Lembra que cerca de dez anos atrás você quase arruinou tudo? Você quase destruiu não só sua vida, como a vida de outras pessoas importantes? Como você quase destruiu um possível futuro?

E você está deixando isso acontecer de novo? Qual o seu problema?

Sei que é uma situação completamente diferente, mas justamente, é ainda pior! Você acha que alguma coisa boa pode sair disso? A tendência é você se dar mal, MUITO MAL! E não só você! Você quer mesmo que seja assim? Você sabe que é impossível!!

O que você tem a dizer sobre isso?"


Depois de um longo suspiro, olhei para janela. A Lua brilhava, com Vênus como sua linda companheira. Dei um gole no Whisky e com um sorriso meio torto, melancólico de quem percebe tudo de errado que aconteceu, mas não tem muito o que fazer, olhei para o breu do quarto, não iluminado pela Lua, respirei e falei:


"Não deu para evitar..."


Virei a cabeça no travesseiro, esperando que Hipnos viesse encerrar mais aquele dia. Mas ele demorou a vir.

Lorhien Wolpart

15 de fevereiro de 2016

Eu quero aquilo que não quero...

Estou confuso. Ou melhor, eu sempre fui confuso.

Eu literalmente me sinto perdido. Não digo racionalmente, porque, mesmo sem saber que rumo tomar, vejo que estou indo pelo lado certo, ou pelo menos aparento estar nele. Nem exatamente no lado emocional. Quer dizer, será que eu posso separar o lado emocional do sentimental? Sinceramente, estou ainda mais confuso agora.

Enfim, vamos ao ponto: eu não sei o que quero. Como assim? Digamos que eu quero coisas diferentes e cada coisa exige algo que eu não sei se estou disposto. Sempre brinquei com alguns amigos sobre ser contra casamento e coisas afins, mas sabe qual é a verdade? Eu na verdade gosto disso. Pensar em compartilhar a vida com alguém, ter filhos e perceber que minha vida e meus sonhos não são tão importantes quanto o deles, eu quero isso para mim. Qual o problema? Com o tempo descobri algo sobre mim que prejudique isso: não sou mais capaz de me apaixonar.

Parece aquelas frases de adolescentes depressivos, não é? Curioso é que nunca fui tão sóbrio ao falar isso quanto agora. Estou dizendo o que venho percebendo há algum tempo, cada vez tenho me tornado mais cínico. Conheço alguém, a pessoa é muito legal, a pessoa compartilha os mesmos gostos que eu, é justamente o tipo de pessoa que quero para me acompanhar em um relacionamento, mas não consigo sequer criar esse vínculo afetivo com ela. Não digo que não surja amizade ou desejo sexual, muitas vezes surgem os dois, mas sabe aquele vínculo emocional, aquela paixão arrebatadora ou mesmo algo que possa se tornar em um relacionamento de longo prazo? Pois é, isso eu não vejo surgir.

Antes de eu me entender dessa forma, eu esses desejos de forma diferente. Uma junção de desejo com amizade já me fez achar que estava apaixonado, mas percebi que estava errado. Na verdade, isso foi tão prejudicial que quase perdi uma das minhas mais valiosas amizades por causa dessa confusão, porque eu fiquei meio que sem noção da realidade e achava que tinha encontrado "a escolhida", o que gerou problemas com outras pessoas.

O mais estranho é: existem pessoas por quem realmente sou louco para passar mais tempo junto (ok, não no plural, mas no singular), mas ao mesmo tempo, prefiro que não passemos, porque eu sei que não vai funcionar. E, sabendo que não vai funcionar, não estou disposto a correr o risco de prejudicar uma das melhores amizades que tenho atualmente.

Não é que eu nunca tenha me apaixonado de verdade. Curiosamente, foi sim na adolescência, mas não estou me referindo àquelas paixonites adolescentes, mas algo que transcendia o que normalmente sentimos. Algo totalmente diferente. O interessante é que eu percebi que desde essa última paixão, nunca mais senti nada sequer parecido. Não que eu não tenha namorado ou tido outros relacionamentos, mas é que eu nunca me envolvi emocionalmente com ninguém de verdade. Nunca falei um "Eu te amo" para uma namorada.

É engraçado eu falar disso, porque eu raramente admito que as vezes eu sinto falta. Mas o fato é que eu, há tempos, me sinto incapaz de me apaixonar, é como se algo estivesse quebrado e não houvesse forma forma de consertar. E não, não estou sendo melodramático e dizendo "Oh! Estou com o coração partido! Não posso mais viver!". Na verdade, eu tenho vivido muito bem da forma que estou. Mas não tenho como negar que isso faz um pouco de falta. As vezes muita.

Eu tenho ideia de alguns motivos pelos quais isso faz falta, mas não convém explicá-los aqui. Na verdade, estou tão confuso que nem sei ao certo porque estou escrevendo isso. Mas enfim, já que comecei, vamos terminar.

Curioso é que eu cheguei a sentir uma pontada em mim do tipo "eu quero essa pessoa para mim" MUITO recentemente, até lamentei um pouco ter levado um pouco mais de tempo do que deveria para ter percebido isso. Mas não chega a ser uma pontada de alguém que vai se apaixonar. Na verdade, não sei explicar exatamente o que foi. Talvez tenha sido tipo aquela coisa de criança de querer um brinquedo com que não está brincando só porque outra pessoa pegou (pelamor de deus, não entendam errado achando que estou comparando a pessoa com um objeto).

Vocês entenderam agora porque eu disse estou confuso? Não? Bem, então estão no caminho certo. Estou prestes a completar um quarto de século e, se pensar bem, nunca tive um relacionamento duradouro, sempre terminei eles rapidamente. Eu mesmo já disse que não quero me apaixonar, mas, sejamos sinceros, isso é fundamental caso você queira ter algo duradouro com alguém. Mas eu realmente não quero. Percebe como é confuso? Eu quero uma coisa que eu não quero. E estou indo muito bem na minha vida sem precisar ter esse tipo de comprometimento sentimental por ninguém, isso me dá liberdades que eu não teria junto de alguém.


Estou vivendo relativamente bem a minha vida, então porque eu quero algo que é capaz de piorá-la?




---------------------------------------------------------------------------------------------------



Sei que parece um desabafo (e é o que é), mas ei, faz mais de um ano que não escrevo por aqui, não é? Então acho que qualquer texto vale!

13 de fevereiro de 2015

Da meia-noite em diante

"Vou admitir uma coisa que todo mundo já percebeu mas eu nunca falei diretamente: Eu sou completamente louco por ela.".

Com essa frase eu fui o mais sincero que fui comigo há um bom tempo.


Havia criado uma carapaça, uma barreira que impedisse as coisas erradas de me atingirem. Também pudera, havia tempos que eu aguentava muita sem ter aquilo que todos dizem ser tão bom. Mas ser sincero comigo, assim como me desfazer de páginas passadas, me fizeram perceber um pouco melhor quem sou eu. E quando eu digo isso, eu acrescento que estou me admirando ainda mais. Eu gosto de quem eu sou e muito do que me tornei, até porque eu mantive muitas convicções, emboras tenham se tornado menos radicais que antes. Eu digo que deixei de acreditar no amor, mas como posso dizer isso se eu o vejo em várias pessoas, juntando casais perfeitos, mas reais, e não daquela perfeição fingida que é bastante visto.

Mas sabe o que mais me intriga? Eu sinto que ela também gosta de mim. Algo em meu interior diz isso. E eu não digo por causa de uma esperança cega ou interpretação errada, eu realmente acredito nisso. Então por quê raios não estamos juntos? Pode ser que não sejamos um casal perfeito, e, sinceramente, nem quero, mas seremos um casal que encaixa, que funciona. Sim, eu sei que estamos em momento diferentes da vida, cada um enfrentando uma etapa muito diferente da crise dos vinte e tantos anos, e talvez ela tenha cautela de que não seja esse o momento. Ou mesmo ela não queira que isso se torne real e que algum encanto que ela possui vá por água abaixo. Vai Saber.

A verdade é que eu não tenho me apegado as pessoas tão facilmente de uns tempos para cá. Tenho me tornado também mais frio. Sofri algumas perdas que marcaram demais, mas não creio que seja isso. Mas ainda é como se eu tivesse perdido parte da minha capacidade de sentir as coisas intensamente. Talvez seja como um bom e velho amigo uma vez disse "Estamos ficando velhos antes do tempo". Se for mesmo isso, é meio triste. Embora eu ainda me veja como uma criança em boa parte dos momentos. Eu não sei. Pelo menos agora eu me olho no espelho e tenho orgulho da pessoa que vejo. Eu admiro a mim mesmo, então talvez seja a hora de baixar os escudos.



Afinal, estar perdido é apenas uma via da vida


Evandro Silveira de Pontes

2 de dezembro de 2014

Um dia

Um pensamento perdido na madrugada.
Um sonho esquecido na manhã
Uma caminhada desconexa na tarde
Uma indecisão surreal na noite

Um dia em que tudo "É", mas na variedade do "Não Ser" dos pensamentos...

Lorhien Wolpart

30 de setembro de 2014

Estou Esquisito


Afinal, no fim das contas, eu ainda te amo. Mas consegui me convencer do contrário.

Lorhien Wolpart

9 de junho de 2014

Cânticos do Bardo

É difícil até de começar
Nem sei como posso dizer
E dificuldade em me expressar
Não é algo que costumo ter

Sobre o que vou falar?
Essa dúvida me consome
Não sei onde vou parar
Neutro ao rumo que tome

Mas preciso lhe dizer
Tudo aqui engasgado
Nem sei ao menos porquê
Tenho tanto me evitado

Seus olhos me encantam
Seu sorriso me fascina
E os outros se espantam
Com sua natureza divina

És domadora de corações
Mas livre como o vento
Jamais suportaria grilhões
De corações rabugentos

Te desejo tanto em silencio
Te desejo de corpo inteiro
Coração quer um prenúncio
De que em meus braços lhe terei

Desejo olhar direto em seus olhos
E nesse momento sem falar
Sentir meus mais doces sonhos
Em realidade se tornar

Quero em sua pele tocar
Seu cheiro poder sentir
Sua boca enfim beijar
E fazer o universo sumir

Te desejo tanto quanto posso
Seu sorriso me faz sorrir
Imagino um mundo só nosso
Onde sua alma vou sentir

Pela sua felicidade eu sou capaz
De me esforçar o quanto puder
E sempre serei bastante sagaz
Para felicidade lhe trazer

E ainda é difícil de terminar
Mesmo pensando em meu recinto
Sinto que ainda não consegui falar
Sequer uma fagulha do que sinto

Lorhien Wolpart

31 de janeiro de 2014

Cânticos do Bardo

Vem, vamos nos perder
Perder na indecisão do ser
E juntos amadurecer
Aprender o que é viver

Vem, vamos sorrir
Sem saber onde ir
Ou o caminho a seguir
Deixando o corpo fluir

Vem, vamos cantar
E admirar o luar
Ouvir a água borbulhar
Vamos nos encantar

Ora, vamos dizer
Sem medo de perder
O Sol do amanhecer
Ou a flor a crescer

Ora, vamos gritar
Para o céu e o mar
Até nosso ar acabar
Até nossa voz falhar

E então, vamos agir
Vamos nos sentir
O nosso belo unir
A vergonha banir

Vem, sinta meu calor
Liberemos nosso ardor
Torne-me seu benfeitor
Dê-me esse olhar sedutor

Vem, sinta minha verdade
Me entregue sua vaidade
Experimentemos a liberdade
Fiquemos em cumplicidade

Ora, entremos nessa confusão
Lance-me nesse turbilhão
E sempre segure minha mão
E sinta comigo essa emoção

Ora, vem sussurrar
Vem meu mundo abalar
Seja difícil de acreditar
Permitindo-me lhe amar!


Lorhien Wolpart

28 de outubro de 2013

Eu sei que (quase)tudo muda

     Engraçado como as coisas são. De madrugada minha cabeça encosta no travesseiro, e eu sempre me pergunto: "será que estou no caminho certo?". Eu jamais tive uma resposta sincera. Mas comecei a analisar minha vida, tudo que pode acontecer em um intervalo pequeno. Um intervalo de, digamos, cinco anos.

10 de setembro de 2013

A imperfeita poesia da vida

E o livro abriu
As páginas correram
Palavras surgiram
Lições foram aprendidas
E o leitor ouviu
O silêncio da escrita
Mais eloquente que o som
Das palavras perdidas
E a leitura ensinou
Que a verdade não existe
Que o real é imperfeito
E que o mundo é um sonho
E sonhos podem ser pesadelos
De crueldade e dor
Mas também pode ser doces
E trazerem felicidade
Mas o que o livro mostrou
Em versos não rimados
Na imperfeita poesia da vida
É que não importa o que aconteça
Se você acreditar em você
Sempre poderá vencer

Lorhien Wolpart

23 de agosto de 2013

Cânticos do Bardo

Será que foi ilusão?
Será que foi real?
Ou foi meu desejo são
De que nada fosse igual?

Não entendo o meu ser
E me perco em pensamentos
Tentando nos entender
Descifrando nossos sentimentos

Mas não há resposta
Não há caminho fácil
Não há solução proposta
Para uma felicidade ágil

Mas o meu ser se perde
Em pensamentos sobre você
Que não me permitem ser inerte
E que não me deixam entender

Meu dia é pensando em ti
Minhas horas pensando em nós
Pensando em me diverti
Em nossos momentos a sós

Não entendo o que penso
Não entendo o que acontece
Não consigo ter o bom senso
De não fazer o que me apetece

E estou agora em abstinência
Do calor e cheiro de sua pele
De provar nossa existência
Como a paixão nos compele

Hoje me compreendo menos
Hoje também não lhe entendo
Nossos momentos não somenos
Que me fizeram ficar estupendo

Acordo pensando em ti
Com a luz do Sol alta
E de tudo que eu senti
Sobressai a sua falta

Não sei mais se quer entender
E não consigo parar de pensar
Eu quero tanto lhe acolher
Em meus braços e lhe afagar

E sei que não foi ilusão
Aquilo tudo foi tão real
E do fundo de meu coração
Cresceu um sentimento surreal


Lorhien Wolpart

16 de agosto de 2013

Quanto tempo dura o "Eterno"?

A eternidade pode durar alguns segundos, mas, se for verdadeira, será lembrada para sempre.

Lorhien Wolpart

Cânticos do Bardo

Quando meus pelos eriçarem
Quando o movimento parar
Quando as músicas calarem
Contigo ainda irei sonhar

Quando as mentiras forem ditas
E as verdades ignoradas
Por sensações perdidas
E pelas dores armadas

Quando o Sol não mais brilhar
Quando a escuridão viver
Quando não houver mais luar
Ainda pensarei em você

Quando o medo se instaurar
E a coragem desistir
E não houver motivo para lutar
E nem refúgio para ir

Quando o mar se calar
Quando a flor murchar
Quando a areia não mais voar
Ainda estarei a sonhar

Quando nada mais mudar
E as horas não mais passarem
E a rotina se estagnar
E os desejos simples pararem

Quando o som não existir
Quando a vista falhar
Quando a música não mais ouvir
Em mim poderá confiar

Quando o eterno acabar
E a certeza se corroer
Nada mais igual será
Nem a vontade de correr

Quando o vento em ti tocar
Quando a luz te abraçar
Quando a meu coração lhe falar
Que lá ainda irei te amar


Lorhien Wolpart